terça-feira, 26 de abril de 2011

fleet foxes e um álbum fundamental



surpreendem sempre... aqui com uma sonoridade que faz lembrar fado... quanto ao álbum... é fundamental ser ouvido na íntegra

quinta-feira, 21 de abril de 2011

philippe lioret| welcome| 2009



é um erro pensar que é preciso inundar um filme de música para que ele seja um canto. com apenas uma composição (com várias variantes) este filme fica perfeitamente servido, tendo uma das melhores bandas sonoras que já ouvi. pactua com a premissa da narrativa, sente-se esse não pertencer que mata a dignidade, sente-se um sonho, uma obsessão, previsivelmente fatal. mas mais que um retrato social, é um retrato emocional de uma espécie condenada a ter menos do que a alma precisa.

fazer música é fácil

basta ter dois pingos de alma

segunda-feira, 18 de abril de 2011

the oscillation| um véu sobre a mente| 2011



via bandcamp

os londrinos The Oscillation têm neste Veils um som único, misterioso, psicadélico, progressivo. é um véu que se levanta, permitindo ver um pouco do funcionamento da mente. é música conceptual da boa. ouvir este álbum é um interessante exercício de psicanálise. um álbum mágico de teclados dançantes, de guitarras simpáticas, de percussões esquizofrénicas e vozes desfocadas. começa bem e acaba ainda melhor, tendo na faixa título o seu mais alto ponto. provavelmente um dos álbuns do ano. pelo menos para mim vá...

sábado, 16 de abril de 2011

fleet foxes| cantando o mar



e aquela que é a mais harmoniosa banda do momento apresentou assim mais um tema do novo álbum com este excelente vídeo. não há muito a dizer. estarão em portugal no Optimus Alive no dia 8 de Julho.

quinta-feira, 14 de abril de 2011

the cure| caras de gato



banda de diversas facetas diferentes. desde a música tipicamente 80's, à fase desintegration, provavelmente passando por outras que desconheço, os The Cure foram-se tornado numa das bandas mais populares do momento e com grupos de admiradores das suas diversas faces. a minha preferida é a mais caótica, no entanto, não posso deixar de me apaixonar por esta versão, tal como está feita.

michel gondry| home-made cinema| 2008



a partir de um conjunto de cassetes apagadas num videoclube, surgiu a necessidade de regravar todos os seus filmes. isto para as personagens de Jack Black e de Mos Def (rapper habituado a papéis caricatos no cinema mais non-sense), no videoclube de Danny Glover, vizinho de Mia Farrow. é assim que Michel Gondry constrói o argumento e a filmagem de um filme sobre a criatividade, a capacidade de improvisar e o direito que temos de controlar a nossa história. o filme torna-se em certos pontos muito (...), mas no final, acaba por valer a pena por um par de piadas, um par de morais e um par de momentos de verdadeira arte cinematográfica.


Miss Falewicz: The past belongs to us, and we can change it.


Jerry: How come you never got married Mr. Fletcher?
Elroy Fletcher: Well, the common story is, the girl that you's gon' ask you waited too long to ask. She went on to marry somebody else and then you can't find anybody to compare to her, so what happens?... You get old.

terça-feira, 12 de abril de 2011

Tom Ford| um homem só| 2009



existem vários exemplos de como o título traduzido perde alguma força. este é um deles, pois desaparece o trocadilho presente na palavra single. se por um lado o homem é singular, também está só e é a conjunção destas duas realidades que desencadeiam a história.

já em relação ao filme, é impossível falar dele sem falar em poesia. a câmara capta com uma beleza tocante cada imagem, fazendo jogos de cor que cantam a música magistralmente composta para o efeito. um poema sobre solidão, sobre o presente, o futuro, o passado, o medo, o ver as coisas de uma forma singular, notavelmente construído de uma ponta à outra. a realização é perfeita, o argumento poético, as interpretações soberbas, a música transcendente.

George: I always used to tell him that only fools could possibly escape the simple truth that now isn't simply now: it's a cold reminder. One day later than yesterday, one year later than last year, and that sooner or later it will come.

big brother and the holding company| a banda de janis joplin



até 1968 esta foi a banda de Janis Joplin e, diga-se de passagem, foi por aqui que surgiram os maiores êxitos daquela que é considerada uma das maiores vozes de sempre. estes dois temas são do último álbum da banda com a Janis, Cheap Thrills. e quão poderosos é o álbum!!!

segunda-feira, 11 de abril de 2011

smith westerns| o som do passado



os Smith Westerns trouxeram-nos neste início de 2011, os sons que John Lennon tanto explorou no final da sua carreira. falo de mind games e de 9# dream. e que bem que sabe relembrar estes sons. e se este álbum não passa muito daí, não faz mal: é música que sabe bem ouvir.

domingo, 3 de abril de 2011

mau amigo| promessas são para cumprir




o que mais fazem os maus amigos é prometer coisas que não virão a cumprir. espero que não seja o caso dos mau amigo, que prometem com esta demo ser uma das bandas portuguesas mais relevantes da década que por agora se começa a montar. já está lá muita coisa, falta aquilo que só o tempo traz. por agora vou esperando pelo álbum de estreia desta banda que nasceu num concelho vizinho, onde nunca esperaria que aparecesse algo desta dimensão e estilo: monção.