quarta-feira, 28 de abril de 2010

take just a miserable second #19

"É altura de ser louco, de as coisas existirem mais do que nós, de o pânico nos explodir sem se saber de quê,
- Pauli...i...nho!
de nada ter importância, por não termos importância,de as ficções infantis terem razão por nada a ter, de haver em nós um fantasma que é nós e o terrível que é."


Vergílio Ferreira in para sempre

terça-feira, 27 de abril de 2010

querem que os alunos tenham respeito pela bandeira e pelo hino. desculpem, mas não sou capaz disso. chamem-me anarquista, chamem-me não patriota, chamem-me traidor, mas creio que incentivar o culto de uma nacionalidade deve ser feito fora das escolas. gosto de algum fado, gosto da poesia, literatura e música ligeira portuguesa. gosto da gastronomia, das paisagens, etc. mas não me obriguem a gostar da bandeira e do hino...

A ouvir #36



incrivelmente, o vídeo é uma montagem de vários outros vídeos dos Enigma... está muito bom o video...

segunda-feira, 26 de abril de 2010

não sei porque ainda me admiro com a estupidez, imbecilidade, falta de cultura e de educação do Miguel Sousa Tavares. ele é uma besta. e muitos portugueses pensam como ele. é deprimente...

domingo, 25 de abril de 2010

constatação de facto: pessoal incógnito

o facto de escrevermos incognitamente traz-nos a liberdade de escrevermos pessoalmente, sem qualquer medo. é muito mais livre, mais libertador... é por isso estranho alguém que aprecia tal coisa, pensar em acabar com esse incógnito. sim, estou a pensar em identificar-me. não sei que é que o blog poderá perder com isso... muito provavelmente... a liberdade quando escasseia, nem parece a mesma! é um risco que talvez venha a correr. para já não sei...

25 de abril - comemorações

apenas para referir a triste figura do Bloco de Esquerda e do Partido Comunista. Não terão sido os únicos, mas foram os mais evidentes. falo da não saudação das palavras do Presidente. pode ter muitos erros como político mas discursou bem, de acordo até com a grande luta que o BE tem tido. mais uma vez o velho preconceito esquerda/direita (a única coisa de jeito, ou pelo menos importante, que o "preconceituoso" ["perigosos esquerdistas"] Aguiar referiu). sendo eu aderente do BE fiquei triste com esta incoerência da bancada parlamentar, assim como com os comentários do líder parlamentar. isto porque a Alegre tudo é permitido, a Cavaco não. enfim...
25
a
b
r
i
l

sábado, 24 de abril de 2010

perdidos


perdemo-nos, perdemo-nos e onde estamos? eu estou já ali, por trás daquela árvore a urinar, mas de ti não sei... fugiste ao tempo? ao espaço? talvez já estejas em casa, espero bem que não, ainda tenho coisas para te dizer...
-tens um cheiro bonito
mas não tanto como tu
-tens um sorriso bonito
mas não tanto como tu
-tens uma voz bonita
mas não tanto como tu
-tens uma alma bonita
e é mais bonita que qualquer outra que eu conheça!!!

perdemo-nos. melhor, eu perdi-me, tu continuas o teu caminho. perdes-te mas segues caminho. eu perco-me mas não compreendo a beleza da dúvida, do desconhecido, e paro, assustado, à procura de um rumo, sem compreender que não há rumo melhor que aquele que os nós pés querem dar. tu sempre apoiaste os meus pés. eles sempre andaram para ti, e eu forçava para mais perto estar de ti...

"o meu quarto vê-se da estrada" e a estrada cheia, já sei, para tentar entender a alma bela, e não só... todos os contornos, que até uma alma pagã aprecia. e todas almas pagãs quando te vêm... não existe outro deus, não existe outro ser, não existe outro lugar. e tanto tempo! e tanta beleza... espero que me leves um dia para esse teu lugar. porque eu perdi-me e não sei brincar aos perdidos.

quarta-feira, 21 de abril de 2010

e já não sei onde ela vai!

Por vezes a boca foge-me para a verdade. Depois tapo-a com a mão e finjo que não disse nada.
-Ai é assim?
Não, não é assim... Como pode ser assim se nem disse nada?
-Ai é assim?
Mentira a minha, raramente a boca me foge para a verdade. Eu fujo para a verdade, mas a boca destoa, e não parece que acontece. Talvez uma ilusão. Certamente uma ilusão. De certeza uma ilusão... Caso contrário,
-Só podes estar louco?
nunca. Porque como pode uma pessoa tão normal estar louca?
-Lá estás tu com a mania...
Realmente... Dá-me com ela.... Será que é a boca que me foge para a verdade?
-Certamente não, manias tuas...
Irrita-me a normalidade, o quotidiano, a perfeição no seu sentido mais lato... Gosto do caos, da liberdade, e do pó dos pinheiros... Gosto de muita coisa, mas não gosto mais de nada como de...
-De???
de...
Sei lá do que gosto... A boca foge-me para a verdade, e a verdade é que não sei o que quero

"don’t feel guilty if you don’t know what you want to do with your
life…the most interesting people I know didn’t know at 22 what they
wanted to do with their lives, some of the most interesting 40 year
olds I know still don’t."


a verdade é que até gosto de viver em Portugal, e por mais que inveje a Dinamarca, não me vejo a viver num desses sítios, sem defeitos (aparentes), e sem coisas para arranjar.
-Fugiste para mentira...
Talvez... Já estou tão habituado a viver num mundo imperfeito, que é um acontecimento a boca fugir-me para a verdade.
-E talvez nunca o tenha feito!

Paris-Lisboa



AVISO: Não venho enxovalhar a deputada Inês de Medeiros, venho, isso sim enxovalhar quem votou a favor (ou o permitiu) da decisão de pagar as viagens Paris-Lisboa à deputada socialista (que constam ser de classe executiva)

Não sou contra isso por nos encontrarmos ao pé do abismo, ou por ter sido aprovado maioritariamente pelo mesmo partido que aprovou um PEC que pretende, nada mais nada menos, que diminuir salários e cortar dinheiros em todo o lado (menos onde não faz falta nenhuma, exactamente, lá em cima). Não, isso já é habitual. Carros novos na EDP. Prémios pagos pelo estado (pois claro que os gestores são bons, sobem quanto quiserem, investimento todo público, será assim tão difícil atingir objectivos?). Recibos verdes e outras falcatruas. A assembleia melhor equipada tecnologicamente da União Europeia (ou das melhor). etc. etc. etc.

Simplesmente me custa o facto de todo o professor, médico, enfermeiro, trabalhador ter de pagar as suas deslocações para o emprego. Qual é a diferença entre um deputado e um outro qualquer trabalhador? Aparentemente toda... (Daqui a algum tempo os porcos começam a andar em duas patas).

Custa-me também o facto de essa senhora não trazer de Paris alguns ideais revolucionários, para virar o país ao contrário, para se investir na educação, que está garantida (sem menção a qualquer preço) na declaração universal dos direitos do Homem (onde também aparece que todos os homens nascem iguais), sim, porque é a única hipótese portuguesa. O futuro. O presente está em cacos, e tão cedo, pelo que mostra a total apatia popular, não vai melhorar.

Bonne soirée

segunda-feira, 19 de abril de 2010

A ouvir #34



muita gente não gostou desta nova música dos mão morta. é mais pop sem dúvida. eu acho-a completamente viciante, algo cómica até ridícula, mais pelas letras, mas no bom sentido. não será a melhor deles, talvez nem esteja ao seu nível, mas não deixa de ser uma excelente música!

domingo, 18 de abril de 2010

"Nada é permanente, excepto a mudança"


Cito acima Heráclito. Tudo vai mudando. Talvez por isso, a mesma coisa, em dois momentos diferentes, separados por um pequeno intervalo de tempo, pareça duas coisas completamente diferentes. Porque a mudança não é consciente do que faz (com certeza não o é, caso contrário, não seria, por vezes tão radical) ela é imprevisível. E por vezes quando olhamos para trás ficamos embasbacados, cegos de "wow" e curiosos: como é que as coisas vieram aqui parar? Provavelmente foi um segundo que olhamos para o lado, e não vimos a mudança a trabalhar.

Eu gosto de mudança. Tenho medo, mas gosto bastante dela. No entanto, quando conheço o fruto dessa mesma mudança reajo com precaução. Por exemplo quando me encontro com alguém que já não via há muito tempo não sei como reagir. Qual terá sido a intensidade dessa mudança? Provavelmente isto acontece a muita gente. Parece-me ser natural. Será que esse algo mudou na sua essência? Talvez sim, talvez não. A única coisa previsível em relação à mudança é a sua perdurabilidade.

A ouvir #33

segunda-feira, 12 de abril de 2010

A ouvir #32


Belarmino

Linda Martini | MySpace Music Videos

nova música. espectacular. os Linda Martini arriscam-se a tornar uma grande referência mundial...

http://blitz.aeiou.pt/gen.pl?p=stories&op=view&fokey=bz.stories/59810

sábado, 10 de abril de 2010

A ouvir #31



"Isto é Beatles, só pode ser Beatles! E esta voz, é do George! Tenho a certeza!"

quinta-feira, 8 de abril de 2010

Uma Outra Carta Miserável


quadro de René Magritte

Caros seres miseráveis,

Já me fartei de dizer isto, não é, no entanto, por isso que perde a verdade: toda a gente é miserável. Sendo um adjectivo é bastante subjectivo e susceptível a utilizações irónicas e figuradas. Não faço ideia porque estou a escrever isto... Não tem o mínimo sentido! Nem tão pouco o mínimo objectivo! Que miserável mentira a minha, é óbvio que tento reabilitar assim o blog que nos últimos tempos tem falecido aos poucos. É um objectivo miserável bem sei, não mais fácil por isso.

Sou um fazedor de coisa nenhuma. Entre os estudos que sigo com falta de interesse objectivo, os traços e versos miseráveis que vou deixando para trás, e os meus ridículos desejos secretos pela música e literatura, muita pouca coisa fica erguida. Orgulho-me de não deixar nada para trás, que não ideias, a mais pura forma de arte,cultura, ou de vida. Naturalmente estas são pessoais, intransmissíveis, mas, nem por isso, menos valiosas. Devo dizer que toda a gente tem ideias, e muitas delas geniais. Considero as pessoas com ideias geniais, quer as passem para o papel ou não, loucos que vivem escondidos entre os seus iguais, que se cruzam na rua e raramente se reconhecem. Não sei se serei um louco: atrevo-me a dizer que sim, gosto de considerar as minhas ideias geniais mas será incorrecto e politicamente incorrecto afirmá-lo publicamente. Aparte esta minha pequena consideração pessoal, o que é um louco senão um miserável?

Não somos todos miseráveis, e naturalmente uns serão mais que outros. Miserável é tentar perceber quais os verdadeiros miseráveis, com os frágeis olhos humanos, que não percebem as diferentes visões humanas sobre o que é bom e mau. Não tomem é este meu devaneio, discurso de um louco que o é por querer sê-lo e não por o ser, como algo importante, que tenha algum tipo de importância. É um miserável esforço para reabilitar este blog, e não só, eu próprio.

Uma miserável existência para todos os que continuam a intentar seja o que for,

jp amorim

domingo, 4 de abril de 2010

Hurt



escrita por Trent Reznor (NIN), esta música faz todo o sentido na voz do Johny Cash.

"I pop the video in, and wow… Tears welling, silence, goose-bumps… Wow. [I felt like] I just lost my girlfriend, because that song isn't mine anymore… It really made me think about how powerful music is as a medium and art form. I wrote some words and music in my bedroom as a way of staying sane, about a bleak and desperate place I was in, totally isolated and alone. [Somehow] that winds up reinterpreted by a music legend from a radically different era/genre and still retains sincerity and meaning — different, but every bit as pure"
Trent Reznor, obrigado wikipédia

sábado, 3 de abril de 2010

A ouvir #30

Já não passo por aqui há uns tempinhos... por isso dose dupla com aquelas que para mim são as duas melhores bandas portuguesas....