sexta-feira, 26 de junho de 2009

Bruges

Anteontem, influenciado por pensamentos naturalistas que me invadem com enorme frequência, e desta vez reforçados pelo visionamento recente do filme Into the Wild( sobre o qual, quando tiver a concentração necessária, farei um post a si dedicado), critiquei a sociedade tal e qual como está concebida. Referi, na minha crítica, a existência de cidades com uma harmonia perfeita entre Natureza e Civilização. Bruges é um destes casos.




Em Bruges, filme que conta com Colin Farrel e Ralph Fiennes no elenco, é uma comédia dramática, que mais do que contar a história de dois assassinos que esperam em Bruges ordens do seu superior depois de um trabalho que correu mal, é marcante pela forma impressionante como capta a luz e o brilho de Bruges. Devo dizer que achei Bruges particularmente bonita de noite.




Bruges é uma cidade em que o elemento água, por força dos seus canais, tem muita relevância. Uma típica cidade medieval do norte de Europa, é no filme descrito, e com razão, como «cenário de conto de fadas».



Bruges é uma cidade de uma beleza imensa, com muita água e muitas árvores. É uma cidade que foi muito bem retratada no filme e que, pelo menos na tela, parece um local mágico, belo, que se deve visitar pelo menos uma vez na vida. E a câmara conseguiu captar toda essa essência.

1 comentário:

Victor Afonso disse...

E o filme é bem interessante!